NACARATO | Dr. Paulo Mello Freire Nacarato




Telefone: 11 3062.2443



Estética dental e Clareamento dental

Há mais de 20 anos a Clínica Nacarato oferece o melhor em recursos e técnica para tratamentos relacionados à estética dental.

 

 

 




Danos do cigarro à saúde bucal


O uso constante de tabaco é um fator de risco para uma série de doenças e é comprovadamente prejudicial à saúde em geral, mas especialmente a saúde bucal.

 

Os principais danos causados pelo cigarro são: o câncer bucal, a doença periodontal e a halitose, manchas nos dentes, língua e mucosas. As defesas do organismo diminuem, o que prejudica a cicatrização de feridas e a osteo-integração de implantes dentários.

 

Uma das causas de mau hálito são os produtos da combustão do tabaco, os odores da fumaça inalada são expelidos durante a fala e a respiração. O uso de cigarro juntamente a uma má higiene da boca, da língua e à presença de doença periodontal, torna o hálito desagradável.

 

O uso do tabaco causa aproximadamente cinquenta doenças diferentes, e um fumante adoece em média três vezes mais que um não-fumante.

 

Na boca, o cigarro agride as células da mucosa diminuindo sua capacidade de cicatrização e de defesa, deixando-a mais sujeita à ação de bactérias, vírus e fungos, além de conter substâncias cancerígenas que aumentam a probabilidade do desenvolvimento de câncer bucal.

 

Dentre os componentes do cigarro está a nicotina, que se acumula nas superfícies dos dentes, deixando uma pigmentação escura. Com a cessação do hábito de fumar essas manchas desaparecem gradativamente, mas pode levar até três anos para que isso ocorra.
 
O cigarro também diminui a secreção salivar, deixa uma sensação de boca seca, o que provoca dificuldade na mastigação, deglutição e fonação, além de tornar a mucosa bucal mais sensível, pondendo surgir feridas na boca e fissuras na língua.

 

O tabagismo está associado aos cânceres de lábio e da cavidade bucal, faringe, laringe e esôfago. Dependendo do tipo e da quantidade usada, os fumantes apresentam maior probabilidade de desenvolver câncer de boca do que os não-fumantes. Entre os pacientes que morrem em decorrência de câncer da cavidade bucal, 90% são fumantes.

 

O fumante também tem alterações no olfato e no paladar dos alimentos, acontecendo a atrofia das papilas gustativas do dorso da língua e ocorrendo diminuição do paladar, principalmente de alimentos salgados.

 

Mais importante que tratar é prevenir, orientar o paciente dos riscos para sua saúde e estimulá-lo a parar de fumar.  Deve também realizar visitas ao dentista periodicamente, fazendo um acompanhamento dos dentes, gengivas e principalmente da mucosa bucal. Existem tratamentos periodontais e restauradores para limitar os danos causados pelo cigarro e pela má higiene bucal.

 

Evitar a associação do fumo com o álcool, ter uma alimentação saudável, realizar consultas periódicas com o dentista e manter uma boa higiene bucal são todas ações que podem ajudar e prevenir doenças mais graves.